Notícias

Março 3, 2018 04:46 PM

No dia 4 de março de 1932, nasceu Miriam Makeba. Foi uma cantora sul-africana e e grande ativista na luta pelos direitos humanos e contra o racismo. Makeba, que simbolizava a luta contra o apartheid e esteve marginalizada mais de três décadas pelo regime racista sul-africano. faleceu há dez anos. Por António José André.

Fevereiro 7, 2018 07:40 PM

No dia 8 de fevereiro de 1998, morreu Halldór Laxness. Foi um escritor islandês. Tendo sido controverso pelas suas posturas radicais, foi uma figura dominante na literatura islandesa, ao longo do século XX. Por António José André.

Fevereiro 6, 2018 06:00 PM

No dia 5 de fevereiro, a Coordenadora Concelhia de Coimbra do Bloco de Esquerda promoveu uma ação de Protesto contra o encerramento da Estação dos CTT da Praça da República, distribuindo um comunicado que foi distribuído à população.

Janeiro 31, 2018 05:57 PM

No dia 3 de fevereiro (sábado), terá início a Conferência “Despenalizar a Morte Assistida: Tolerância e Livre Decisão”, com uma intervenção de João Semedo, às 11h. Este evento decorrerá, na União de Associações do Comércio e Serviços,(Rua Castilho, 14), em Lisboa.

Janeiro 31, 2018 05:41 PM

No dia 30 de janeiro de 2006, morreu Coretta Scott King. Foi uma escritora, cantora e ativista norte-americana. Defendendo a igualdade e a justiça, lutou pelos direitos dos negros e das mulheres. Defendendo a paz, foi contra a Guerra do Vietname e a invasão do Iraque. Por António José André.

Janeiro 17, 2018 06:49 PM

No dia 17 de janeiro de 1961, morreu Patrice Lumumba. Foi um dirigente políico congolês, que defendia a unidade e a luta dos povos africanos contra o colonialismo e o imperialismo. Por António José André.

Janeiro 10, 2018 05:03 PM

No dia 10 de janeiro de 1961, faleceu Dashiell Hammett. Foi um escritor norte-americano, que introduziu o realismo na literatura policial. A "caça às bruxas", promovida por McCarthy, incluíu-o na Lista Negra que impedia artistas de trabalharem na indústria cinematográfica. Por António José André.

Opinião

É preciso ter coragem e força de condenar este ataque, a mesma força e coragem que alguns têm tido para condenar a acção de Bashar Al Assad e da Rússia. O único lado que há para defender é mesmo o do povo sírio. O mundo está a ser comandado por loucos. Se aceitarmos fazer-lhes companhia, somos cúmplices.

Compete aos nossos autarcas e a toda a população comprometerem-se num caminho coerente e concertado, para uma estratégia valorizadora da região de Coimbra, como pólo charneira de múltiplas acessibilidades entre o litoral e o interior de Portugal.